Dia Mundial do Doador de Sangue: conheça o percurso da bolsa de sangue até o paciente
Por: Press a Porter - 14/06/2017

Vyttra Diagnósticos explica por que a coleta é segura para doador e receptor e quais são os testes realizados durante a doação

 

No próximo dia 14 de junho será comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, uma homenagem mais do que justa para alguém que faz uma doação para salvar vidas. Mas o Brasil ainda tem muito a evoluir em doações. De acordo com o Ministério da Saúde, 1,8% da população doa sangue com regularidade. O percentual fica abaixo do ideal estimado pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), de 2% da população, para suprir as necessidades de sangue e outros componentes sanguíneos de um país. Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2015 cerca de 1 milhão de voluntários doaram sangue pela primeira vez, ou seja, 38% do total das doações. Mais 1,6 milhão de pessoas, ou 62% do total, retornaram para doar.

A doação de sangue tem evoluído em função das campanhas de conscientização da população. Muitos deixam de doar por medo, mas a doação é rápida e segura em função dos avanços das tecnologias de coleta e dos testes de diagnóstico in vitro, que garantem uma transfusão segura.

O protocolo aplicado pelos bancos de sangue também é bastante definido. Antes da coleta o doador passa por uma entrevista de triagem clínica, na qual podem ser detectadas algumas condições adicionais que possam impedir sua doação. Um bom exemplo é o teste rápido de hemoglobina, feito com uma única gota de sangue.

Após a coleta, cada bolsa de sangue é testada para hepatites B e C, HIV, HTLV, Doença de Chagas e Sífilis. Além disso, é realizada a tipagem sanguínea ABO e Rh, bem como a pesquisa de anticorpos eritrocitários irregulares. Caso algum destes testes apresente resultado alterado, a bolsa de sangue será desprezada e o doador será convidado a retornar para a repetição dos exames. É importante frisar que jamais se deve fazer uma doação de sangue apenas para receber o resultado dos testes, lembrando que estes exames estão disponíveis na rede pública e particular de saúde, não apenas nos bancos de sangue.

Os testes utilizados pelos bancos de sangue evoluíram muito ao longo dos anos, sempre no sentido de garantir a segurança da doação para os envolvidos. Os kits tiveram sua sensibilidade e especificidade aumentadas, além da redução da janela imunológica, garantindo que algumas doenças possam ser detectadas em um período menor após o contágio da mesma e, com isso, aumentando a confiabilidade dos testes.

Líder brasileira na produção e comercialização de reagentes e equipamentos para o mercado de diagnósticos in vitro, a Vyttra Diagnósticos oferece em seu portfólio de produtos todos os testes necessários para a triagem de doadores de sangue pelas metodologias ELISA, Quimioluminescência, ImunoBlot e Imunofluorescência para doenças infecciosas, além dos testes de imunohematologia para determinação de grupos sanguíneos.

Para ser doador de sangue, basta ter entre 18 e 69 anos de idade e ter peso superior a 50 quilos. Pessoas entre 16 e 18 anos também podem doar, desde que autorizadas pelos pais ou responsáveis. De acordo com a diretriz do Ministério da Saúde, homens podem fazer quatro doações ao ano, com intervalos mínimos de 60 dias. Já para as mulheres recomenda-se até três doações ao ano, com intervalos de 90 dias. Além dos bancos de sangue independentes, a maior parte dos hospitais públicos e privados possui bancos de sangue próprios que estão sempre abertos a doadores.

Sobre a Vyttra Diagnósticos

Líder brasileira na produção e comercialização de reagentes e equipamentos para o mercado de diagnóstico in vitro, a Vyttra Diagnósticos faz parte da holding Adavium Medical e foi criada em 2016 a partir da união das empresas Imunotech, Hemogram e Alka Tecnologia. Com mais de 2.500 clientes em todo o país, a Vyttra Diagnósticos conta com portfólio completo com mais de três mil itens, entre produtos de fabricação própria, bem como dos melhores fornecedores, em especialidades como bioquímica, hematologia, imunologia, autoimunidade e microbiologia. Com atuação nacional, a empresa dispõe de cinco centros de distribuição, localizados em São Paulo, Goiânia, Minas Gerais, Curitiba e Bragança Paulista. Em uma moderna fábrica instalada também em Bragança Paulista (SP) a empresa desenvolve e produz equipamentos e reagentes de sua marca Hemogram para hematologia e microbiologia.

Publicidade:
Últimas Noticias
30/11/2017
23/10/2017
23/10/2017
23/10/2017