Roche traz dados de eficácia e segurança de droga para o tratamento da esclerose múltipla
Por: In Press Porter Novelli - 11/10/2018

Roche apresenta dados de eficácia e segurança de medicamento para o tratamento da esclerose múltipla

Dados colhidos durante cinco anos serão divulgados no 34º Congresso do Comitê Europeu para Tratamento e Pesquisa da Esclerose Múltipla (ECTRIMS), em Berlim, e reforçam, entre outras questões, a importância do tratamento precoce e contínuo

São Paulo, outubro de 2018 - A farmacêutica Roche anuncia resultados do tratamento das principais formas de esclerose múltipla (EM), a recorrente e a primária progressiva, com o medicamento ocrelizumabe durante o 34º Congresso do Comitê Europeu para Tratamento e Pesquisa da Esclerose Múltipla (ECTRIMS), em Berlim, na Alemanha, de 10 a 12 de outubro deste ano. No total, serão apresentados 15 resumos, incluindo dados de cinco anos de eficácia e segurança e análises que avaliam a administração em grupos de pacientes específicos.

Uma nova análise do estudo de fase III ORATORIO, com pacientes da forma primária progressiva, mostra que o tratamento com ocrelizumabe diminuiu a progressão da esclerose múltipla em quem tem ou não incapacidade geral avançada. Essa análise serviu de base para o estudo ORATORIO-HAND que, pela primeira vez, usará o 9-HPT como parâmetro primário para avaliar a eficácia e a segurança da droga no longo prazo, incluindo aqueles que estão em fases mais avançadas da doença.

Em uma análise por subgrupos dos estudos de fase III OPERA I e OPERA II em afrodescendentes, que geralmente têm progressão mais acelerada da EM do que outras populações, mostrou benefício do tratamento com a molécula. Uma proporção maior desses pacientes alcançou o status de nenhuma evidência de progressão da doença (NEDA), quando comparado à terapia padrão.

“Continuamos mantendo nosso compromisso com as pessoas que sofrem de Esclerose Múltipla”, disse a Dra. Sandra Horning, Diretora Médica e de Desenvolvimento Global de Produtos da Roche. “Além de termos, agora, cinco anos de dados com resultados consistentes de eficácia e segurança de ocrelizumabe, também serão apresentados no ECTRIMS outros dados que contribuem para um melhor entendimento clínico da doença. Nossa meta é ajudar a comunidade de pessoas que sofrem com a EM a entendê-la melhor e controlá-la”, finalizou.

Novas ferramentas para uma rápida avaliação da gravidade dos sintomas de EM são cruciais para melhorar os resultados dos pacientes e otimizar o atendimento. E é neste cenário que entra o SymptoMScreen - um novo recurso para autoavaliação de resultados pelos pacientes, que permite medir a gravidade dos sintomas nos domínios marcha, função manual/destreza, espasticidade, dor corporal, sensibilidade, controle da bexiga, fadiga, visão, tontura, função cognitiva, depressão e ansiedade. A ferramenta será usada em dois estudos de fase IIIb de ocrelizumabe, o ENSEMBLE e CASTING, e os dados basais mostram diferenças na gravidade da doença em todos os domínios. Por exemplo, 31% dos pacientes do estudo ENSEMBLE, com a forma recorrente sem tratamento prévio, e 41% dos pacientes do estudo CASTING, com o tipo recorrente e que não responderam de modo satisfatório a uma terapia modificadora da doença, apresentavam fadiga moderada a grave.

A Roche também irá apresentar dados finais do parâmetro primário do estudo de comprovação do conceito FLOODLIGHT, que avalia uma tecnologia inovadora de automonitoramento por smartphone. Os dados mostram que a avaliação pode ser mais sensível que as avaliações periódicas de incapacidade na clínica. A tecnologia teve grande aderência (76% aos testes ativos e 71% ao monitoramento passivo) e os resultados mostram satisfação boa a excelente entre os pacientes com EM que completaram o estudo.

Com base nos primeiros resultados do estudo de comprovação de conceito FLOODLIGHT, a Roche iniciou um novo estudo global, denominado FLOODLIGHT Open, no qual planeja incluir 10.000 pessoas em cinco anos. Este avaliará a viabilidade do monitoramento da atividade da Esclerose Múltipla e da progressão da incapacidade ao longo de 365 dias, comparados aos dois ou três dias de consulta com o neurologista. É um estudo de acesso aberto, ou seja, qualquer pessoa pode participar, e os dados anônimos obtidos no estudo estarão disponíveis para médicos e cientistas, livremente, visando acelerar a pesquisa e a colaboração. O estudo FLOODLIGHT Open está incluindo pacientes, no momento, nos Estados Unidos e no Canadá, e será aberto para outros países ainda este ano.


Sobre o papel da Roche na Neurociência

A neurociência é um importante foco de pesquisa e desenvolvimento na Roche. A meta da empresa é desenvolver opções terapêuticas baseadas na biologia do sistema nervoso, para ajudar a melhorar a vida das pessoas que sofrem de doenças crônicas que podem ser devastadoras. A Roche tem mais de 12 medicamentos experimentais em desenvolvimento clínico para doenças que incluem Esclerose Múltipla, doença de Alzheimer, Atrofia Muscular Espinhal, doença de Parkinson e Autismo.


Sobre a Roche

A Roche é uma empresa global, pioneira em produtos farmacêuticos e de diagnóstico, dedicada a desenvolver avanços da ciência que melhorem a vida das pessoas. Combinando as forças das divisões Farmacêutica e Diagnóstica, a Roche se tornou líder em medicina personalizada - estratégia que visa encontrar o tratamento certo para cada paciente, da melhor forma possível.

É considerada a maior empresa de biotecnologia do mundo, com medicamentos verdadeiramente diferenciados nas áreas de oncologia, imunologia, infectologia, oftalmologia e doenças do sistema nervoso central. É também líder mundial em diagnóstico in vitro e tecidual do câncer, além de ocupar posição de destaque no gerenciamento do diabetes. Fundada em 1896, a Roche busca constantemente meios mais eficazes para prevenir, diagnosticar e tratar doenças, contribuindo de modo sustentável para a sociedade. A empresa também visa melhorar o acesso dos pacientes às inovações médicas trabalhando em parceria com todos os públicos envolvidos. Vinte e nove medicamentos desenvolvidos pela Roche fazem parte da Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial da Saúde, entre eles, antibióticos que podem salvar vidas, antimaláricos e terapias contra o câncer. Pelo oitavo ano consecutivo, a Roche foi reconhecida como a empresa mais sustentável do grupo Indústria Farmacêutica, Biotecnologia e Ciências da Vida pelos Índices Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI).

Com sede em Basileia, na Suíça, o Grupo Roche atua em mais de 100 países e, em 2016, empregou mais de 94.000 pessoas em todo o mundo. No mesmo ano, a Roche investiu 9,9 bilhões de francos suíços em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e suas vendas alcançaram 50,6 bilhões de francos suíços. A Genentech, nos Estados Unidos, é um membro integral do Grupo Roche. A Roche é acionista majoritária da Chugai Pharmaceutical, no Japão. Para mais informações, visite www.roche.com.br.

Todas as marcas comerciais utilizadas ou citadas neste comunicado são protegidas por lei. 

 

 

Publicidade:
Últimas Noticias
28/02/2019
10/12/2018
10/12/2018
10/12/2018