-->
Login
Hospital das Clínicas adota nova técnica endoscópica para pesquisa em dependentes de álcool e tabaco
Por: Asses Imprensa - CCI - Instituto Central do HC - 16/05/2011

O Serviço de Gastroenterologia Clínica do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da USP, adota um novo procedimento em pesquisa nacional para a detecção precoce do câncer de esôfago em dependentes de álcool e tabaco.

Trata-se da cromoendoscopia virtual, com imagens em alta definição e tecnologia óptica, que, por meio de bandas estreitas de luz, permite ao médico um diagnostico mais rápido e preciso das lesões malignas de boca, garganta e esôfago, no estágio inicial.

1000 voluntários participarão do estudo, em oito centros de pesquisa, parceiros do Hospital das Clinicas, nos estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

Segundo o médico Cláudio Hashimoto, um dos coordenadores da pesquisa no HCFMUSP, o novo exame deverá melhorar e simplificar os resultados, por apresentar uma série de vantagens: é indolor, de simples aplicação, prático e sem efeitos colaterais, se comparado ao método atual.

Basta o médico apertar um botão no endoscópio para acionar o NBI - Narrow Banding Image (filtro de luz especial) e observar a mucosa do esôfago.

Na endoscopia convencional as alterações do câncer precoce podem passar despercebidas. A cromoedoscopia de contraste, com o uso de iodo, pode causar reações alérgicas, irritação da mucosa e alguns pacientes não podem ser submetidos ao exame.

O câncer precoce do esôfago é assintomático. Na maioria dos casos, o diagnóstico acontece em estágio avançado, quando a sobrevida do paciente não passa de 20%. "É extremamente desejável a identificação da doença, na fase inicial, pois a sobrevida dos pacientes pode alcançar a 95%, em cinco anos, com terapias mais simples e menos mutiladoras", enfatiza o médico.

Pesquisa: É sabido que o consumo de bebidas alcoólicas e o hábito de fumar são fatores de risco na ocorrência deste tipo de câncer.

Agora o estudo deverá apontar qual a influência dos hábitos de beber e fumar, quais são os níveis de consumo e o tempo de uso, a relação dos antecedentes familiares entre outros, para o surgimento da doença.

Os interessados em participar do estudo deverão fazer uso de 40 gramas de álcool/dia, o equivalente a quatro garrafas de cerveja ou quatro doses de cachaça/dia, e de tabaco há mais de 10 anos e ter mais de 18 anos.

Em São Paulo, eles devem procurar o Centro de Diagnóstico em Gastroenterologia, das 9 às 15 horas, à Rua Ovídio Pires de Campos, S/nº, portaria 1G.

Parceiros do HCFMUSP: Nos demais estados, o estudo acontece: Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Hospital da Restauração, em Pernambuco, Gastrocentro, em Cascavel, Serviço de Endoscopia Scop, em Campo Grande, Instituto Nacional do Câncer, no Rio de Janeiro, Hospital de Câncer de Barretos.

Publicidade:
Últimas Noticias
30/12/2019
02/12/2019
02/12/2019
02/12/2019