-->
Login
Mais da metade dos cuidadores de doentes de Alzheimer apresentam sofrimento psicológico
Por: - 21/09/2010

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa, progressiva e irreversível que atinge principalmente indivíduos idosos. Estima-se que mais da metade das pessoas que cuidam de portadores de Alzheimer desenvolvem algum tipo de sofrimento psicológico diretamente ligado ao fato de que muitos não conseguem compreender a doença e suas adversidades.

De acordo com Sidnei Gomes, neurologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo (www.bpsp.org.br), os primeiros sintomas da doença são a falta de concentração e de memória. "Com o avançar da doença a pessoa passa a ter perdas de memórias mais graves, perda da função mental, de orientação, juízo crítico e raciocínio", afirma.

Esses sintomas fazem com que os doentes passem a ser dependentes de seus cuidadores - familiares ou profissionais - uma vez que não possuem autonomia para exercer atividades cotidianas. Atos simples como caminhar sozinho pelas ruas, comer e ir ao banheiro ficam limitados e os doentes passam a ter sua qualidade de vida comprometida, demandando atenção contínua das pessoas responsáveis por ajudá-los.

Procurar um profissional e iniciar um tratamento o mais cedo possível é muito importante. O especialista ressalta que, apesar de não haver cura para essa doença, o tratamento precoce visa impedir o rápido declínio da cognição, controlar as alterações comportamentais e diminuir a dependência funcional, melhorando assim a qualidade de vida do paciente e de seus cuidadores.

Para o neurologista, os familiares têm um importante papel no tratamento, "São eles que percebem as mudanças no comportamento cotidiano. A presença dos familiares durante as consultas é fundamental, uma vez que além de auxiliar na descrição e evolução dos sintomas, eles passam a entender melhor o processo da doença, tornando a aceitação menos difícil", completa o neurologista. Ao acompanhar de perto o tratamento, o familiar também melhora sua relação como cuidador, que sofre muito desgaste físico e emocional. Pedir informações e orientações sobre a doença ao neurologista é um bom início para aprender a conviver com a doença.

O Alzheimer é a quarta causa de mortes em pacientes idosos e, segundo estudo do World Alzheimer Report, divulgado pela Alzheimer's Disease International, estima-se que no ano de 2050 aproximadamente 115 milhões possam ter a doença. Segundo DATASUS, a estimativa para 2008 era de cerca de 800 mil portadores da doença no Brasil. Além disso, a pesquisa ressaltou que apenas 12% desses pacientes fazem uso de medicação, se beneficiando de alguma melhoria na qualidade de vida.

Tanto como forma de prevenção quanto tratamento, realizar atividades que estimulam a ativação da rede neural como palavras cruzadas (avançando o nível de complexidade periodicamente) ou aprender uma nova língua são bons exercícios para beneficiar a parte cognitiva.

Beneficência Portuguesa de São Paulo: Com 150 anos completados em 2009, a Beneficência Portuguesa de São Paulo é um dos maiores complexos hospitalares privados da América Latina, com alcance de atendimento de 1,5 milhão de pessoas por ano e excelência em cardiologia, transplantes, neurologia, gastroenterologia, ortopedia e oncologia. Em 2007, foi inaugurada a Unidade Hospital São José, projetada para ser referência em tecnologia e hotelaria hospitalar.

Mais informações à imprensa CDN Comunicação Corporativa Maria Teresa Moraes / 11-3505-4480 / mariateresa.moraes@cdn.com.br Fernanda Martello / 11-3643-2951 / fernanda.martello@cdn.com.br Raquel Brito / 11-3643-2842 / raquel.brito@cdn.com.br Carlos Gil / 11-3643-2711 / carlosgil@cdn.com.br

Publicidade:
Últimas Noticias
30/12/2019
02/12/2019
02/12/2019
02/12/2019