Ações do Centro de Equoterapia da Assopoc promovem inclusão e qualidade de vida
Por: Partners Comunicação Integrada - 03/12/2018


Dezembro de inclusão

No Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, ações do Centro de Equoterapia da Assopoc promovem inclusão e qualidade de vida

 

Em 3 de dezembro, é celebrado o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Instituída pela ONU (Organização das Nações Unidas) em outubro de 1992, a data promove uma reflexão sobre os direitos das pessoas com deficiência em todas as esferas, como, por exemplo, a acessibilidade e a saúde. Iniciativas como a equoterapia promovida pela Associação dos Protetores dos Pobres e Carentes (Assopoc) são fundamentais para que essas pessoas sejam incluídas nesses aspectos sociais tão importantes.


A terapia com o cavalo já é conhecida pelas suas possibilidades na reabilitação física de pessoas com deficiência múltipla. O Centro de Equoterapia da Assopoc oferece a pessoas com deficiência um universo que alia a reabilitação às possibilidades que o ambiente equoterápico proporciona.

“Além de utilizarmos o movimento tridimensional do cavalo para a reabilitação, seja ela motora, sensorial, neurológica, ortopédica, traumatológica, respiratória ou cardiovascular, do usuário, ainda agregamos o ambiente ao nosso redor como elemento de trabalho”, afirma a vice-presidente da Assopoc, Elaine Coelho. Ela explica que a interação com o meio ambiente, a convivência social e a relação com animal, leia-se, alimentar e rasquear (escovar o casco do cavalo) são quesitos a serem incluídos nesse desenvolvimento.

O pensar na equoterapia como uma atividade para além do montar a cavalo vem se tornando um diferencial da unidade. Pelo o menos é isso que os responsáveis de alguns usuários dizem. "Esse ambiente mais natural, e tudo que ele engloba são os grandes pontos atrativos para o Caio, aqui, ele se sente confortável, pertencente a esse espaço”, afirma Vilmar Gonçalves, pai de Caio Lúcio, 10 anos, diagnosticado com paralisia cerebral.

Ao lado de Caio, outras pessoas com deficiência realizam suas sessões e garantem as melhorias na funcionalidade física. “O usuário ganha, aos poucos, habilidades que lhe permitem mais mobilidade física, com agilidade no movimento, o andar mais seguro, a coordenação motora mais apurada e a efetiva estabilização corporal”, garante Maria Rodrigues, fisioterapeuta e coordenadora do centro.

A pequena Antonela Andrade, 4 anos, diagnosticada com Síndrome de Wold-Hirschhorn, vem acumulando resultados positivos nesses quase seis meses de sessão. “Antonela chegou aqui molinha, quase não conseguia sustentar seu corpo em cima do animal, aos poucos, ela foi estabilizando e consolidando a sua postura. Mas, meu ponto de destaque é o aumento no seu nível de atenção e resposta aos comandos, a evolução é nítida”, conta Selma Andrade, mãe de Antonela, que vai além: “Hoje, percebo que o cavalo é o pé, o braço e, algumas vezes, o coração da minha filha”.

 

O Centro de Equoterapia é uma das três unidades da Assopoc, e promove atendimento para 132 usuários.
Assopoc: www.assopoc.com.br

  

Publicidade:
Últimas Noticias
28/02/2019
10/12/2018
10/12/2018
10/12/2018