-->
Login
Hospital do Homem adquire comprimidos de Helleva para distribuir gratuitamente
Por: Stampa Comunicação - 17/09/2010

O Hospital do Homem, instalado no prédio do Hospital Brigadeiro, em São Paulo, adquiriu este mês 8.100 comprimidos de Helleva para distribuição gratuita do medicamento para o tratamento da disfunção erétil. A grande demanda deste tipo de medicamento gerou um aumento de 35% no volume de comprimidos adquiridos pelo Hospital frente ao número da primeira compra realizada pelo hospital, 6 mil comprimidos em novembro de 2009.

Este aumento é reflexo do sucesso do programa. De acordo com Joaquim de Almeida Claro, urologista e coordenador do hospital, a quantidade de comprimidos disponibilizados por mês já estava sendo insuficiente. No início do programa, em novembro do ano passado, 350 comprimidos foram distribuídos. A demanda foi crescendo até atingir 1000 comprimidos em junho deste ano.

Segundo Claro, a distribuição do medicamento partiu da verificação da necessidade de medicações que garantissem a qualidade de vida do homem. "Pesquisas já comprovaram que a disfunção erétil tem até mais impacto na vida do paciente do que as doenças oncológicas. Esse problema pode parecer pequeno no imaginário popular, mas a falta de vida sexual afeta diretamente as relações com a companheira, com o trabalho, com os filhos", explica Claro.

A contribuição do Laboratório Cristália foi fundamental para que o Hospital do Homem pudesse melhorar a qualidade de vida dos pacientes. "No início do programa não havia a quebra da patente dos medicamentos para disfunção erétil, então os remédios eram muito caros. O Cristália então desenvolveu uma molécula exclusiva, que deu origem a um medicamento de qualidade e com preço mais atraente. Isso permitiu que o Ministério da Saúde adquirisse o medicamento a um custo menor e distribuísse gratuitamente aos pacientes", diz o coordenador do Hospital.

Cada paciente tem direito a duas caixas de Helleva mensalmente, que equivalem a oito comprimidos, quantidade recomendada pela Organização Mundial de Saúde. Para ter acesso ao Helleva é necessário que o paciente faça antes uma consulta, depois os exames pedidos pelo urologista e através da prescrição no próprio Hospital do Homem ele poderá requerer o medicamento.

Sobre o Laboratório Cristália: Empresa 100% nacional, o Cristália vem surpreendendo o mercado de fármacos. A empresa, que começou em 1972 para atender apenas à demanda local de medicamentos psiquiátricos, cresceu e ampliou sua gama de produtos, que hoje totaliza 180 medicamentos em 376 diferentes vias de administração e dosagens. Por manter a filosofia de oferecer medicamentos com qualidade e preço justo, o Laboratório Cristália se tornou balizador de preços no mercado público e privado, incrementando a concorrência nesses dois setores até então dominados pelos laboratórios internacionais.

No Cristália, grande parte da linha de produção é destinada aos hospitais, concentrada na fabricação de anestésicos e adjuvantes, o que rendeu ao laboratório a posição de maior fabricante desses produtos na América Latina. Além disso, é o único laboratório brasileiro que produz medicamentos para o Programa Antiaids do Ministério da Saúde, verticalmente - desde a matéria-prima (princípio ativo) ao produto acabado. Até agora, o Cristália já tem 21 patentes registradas e soma mais de 100 pedidos de patentes depositados, um número recorde na indústria farmacêutica nacional.

O Laboratório é responsável pela sintetização dos princípios ativos de medicamentos que são usados pela própria empresa e/ou exportados. Destes, a empresa conta com cinco moléculas consideradas padrão de referência pela United States Pharmacopeia, entidade norte-americana que controla os padrões de qualidade dos fármacos produzidos nos EUA e em outros países.

Publicidade:
Últimas Noticias
30/12/2019
02/12/2019
02/12/2019
02/12/2019